Guia de Istambul

Nunca demos nada por Istambul. Se inicialmente era uma cidade que queríamos visitar, rapidamente foi retirada das nossas listas depois dos atentados há cerca de dois ou três anos atrás. Além disto, imaginávamos Istambul como uma cidade totalmente diferente daquela que encontrámos e com prédios pequenos e casa degradadas. A acrescentar a isto, tínhamos estado em Marrocos, na Tunísia e no Egito e nenhum de nós tinha gostado destes destinos. Foi, assim, a terceira vez que abrimos o coração a um país muçulmano e ainda bem que o fizemos!

Agora vamos lá ao que interessa:

Como chegar:

O aeroporto de Ataturk deixou de existir e, enquanto esse ficava a 20min do centro, o novo aeroporto de Istambul fica a cerca de 55min. Não existem muitas opções: podem apanhar um táxi, negociar com as empresas de transferes que estão por lá e, nesse caso, podem escolher um transfer privado ou compartilhado ou podem ir de autocarro. 

O que visitar:

Istambul é uma cidade que merece, pelo menos 3 dias de visita. Tem imensas coisas para fazer e para ver. Deixamos algumas dicas:

  • Ortakoy – parem para ouvir um chamamento ao lado da mesquita. Tem vista para a ponte e para o outro lado de Istambul. Encontram também vários sítios fofinhos para comer. 
  • Galata Tower – uma vista de 360 graus de Istambul e considerada por muitos, a melhor vista para a cidade.
  • Taksim/Istiklal – foi onde ficámos hospedados. É das ruas mais movimentadas de Istambul e funciona quase como a baixa de Lisboa ou a rua de Santa Catarina, no Porto. Muitas lojas de roupa e restaurantes. A rua termina/começa na praça Taksim.
  • Sultanahmet – Um dos bairros mais bonitos de Istambul e onde se situam grande parte dos monumentos mais importantes. Tem cafés e restaurantes super trendy e é lá que também podem encontrar os famosos Bazaar.
  • Mesquita Azul (Sultanahmet Camii) – Uma das mesquitas mais imponentes e importantes da cidade. A entrada é gratuita. Emprestam o lenço para cobrir a cabeça sem qualquer custo.
  • Hagia Sophia – Fica mesmo em frente à Mesquita Azul e vale super a pena! Custa 60 TL, cerca de 9€.
  • Palácio Topkapi – a entrada fica quase ao lado da Hagia Sophia e tem o custo de 60 TL, cerca de 9€.
  • Grand Bazaar – Encontram as melhores marcas contrafeitas. Dizem ser dos locais onde a qualidade da contrafação é melhor. Além disso, encontram imenso artesanato local – desde lenços a candeeiros e artigos de cerâmica. As melhores pechinchas são feitas nas ruas paralelas ao bazaar e mais para o final do dia.
  • Spice Bazaar – Mercado com todo o tipo de especiarias, chás, café e doces regionais. Vale super a pena!
  • Cisterna – estava em obras e optámos por não visitar tendo em conta que não tínhamos muito tempo e tivemos de escolher muito bem o que queríamos fazer;
  • Passeio de barco no Bósforo – como a hemodiálise nos roubou mais tempo do que o que esperávamos, não conseguimos fazer o passeio contudo foi das dicas que mais nos deram.
  • Kadikoy – e se esta cidade tivesse cabeça na Europa e pés na Ásia? É que tem mesmo… São cerca de 15 minutos de barco para dizerem que já visitaram a Ásia 🙂

Onde ficar?
Nós ficámos no Sanat Hotel Istambul, perto de Taksim. Apesar de ser uma rua muito movimentada, não ouvimos barulho nenhum. A praça de táxis fica a cerca de 20 metros do hotel. 

Sultanahmet é também uma ótima alternativa tendo em conta que está perto de todos os monumentos mais importantes contudo notámos que esta zona era mais cara.

O que comer?

  • Kunefe – um bolo que não é bolo. É feito de queijo e por cima leva um topping doce, tornando-o numa sobremesa. 
  • Kebab – Há em todas as esquinas. O melhor que comemos foi mesmo ao lado do Grand Bazaar. Podem optar por frango, cordeiro ou misto.
  • Sumo de Romã (Nar) – é delicioso!
  • Kumpir – apesar de encontrarem em todo o lado existe muita oferta logo à entrada de Ortakoy. É uma batata que podem rechear com o que quiserem, desde queijo a legumes, tudo é possível.
  • Sandes de peixe – muito conhecida no porto de Eminonu.
  • Salep – uma bebida quente que se vende na rua.
  • Mexilhões – vendem em muitos locais, na rua. Como a viagem estava a começar não me pareceu uma boa opção mas se for num ambiente mais controlado, dizem ser muito bom!
  • Simit – Encontram em cada esquina, em carrinhos de mão. É um pão com sementes em cima.

Como se deslocar?

A rede de transportes é muito boa e bem desenvolvida. Ainda assim, como estávamos numa zona super central, optámos por ir sempre de táxi. O máximo que pagámos foram 5€. Cada viagem era em torno de 3,5€/4€. Em Sultanahmet é super simples andar a pé e sempre conhecem um bocadinho mais da cidade. O metro além de rápido é bastante cómodo e… BARATO!

Dicas úteis:

  • Se ficarem vários dias e quiserem entrar em vários museus, existe o cartão Istambul Welcome card que custa 30€ e que dá acesso a grande parte das atrações. Podem ver o site aqui.
  • Se vos pedirem para negociar o preço do táxi, não aceitem. Vão dizer-vos que com taxímetro é mais caro mas não é! Fica por metade do valor. 
  • Eles quase não falam inglês por isso levem a viagem já estruturada e organizada. Se precisarem de indicações na rua, levem já tudo escrito no telemóvel com o nome do local em turco. Eles não compreendem o nome dos monumentos em inglês.
  • As tomadas são iguais às nossas logo não são preciso adaptadores.

Podem ver mais fotos no nosso instagram @allaboardfamily

Share the love:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *